Alterações mentais pós COVID

Alterações cognitivas tem sido frequentemente observadas durante a infecção pelo CORONAVIRUS e que tem persistido por longos periodos após contaminação.
Até então considerava-se muito mais o aspecto emocional e psicológico de tais sintomas, mas as pesquisas tem encontrado alterações biológicas que podem explicar tais comprometimentos.

Alterações no líquido cefalorraquiadiano (liquor), e fatores de risco como diabetes e hipertensão foram identificados em indivíduos com COVID-19 leve que apresentaram "confusão mental".
Marcadores que indicam inflamação sistêmica e cerebral também foram observados em certos casos.

Outros fatores identificados, é que na maioria dos casos os individuos já apresentavam algum tipo de risco cognitivo preexistente como:
- Comprometimento cognitivo leve;
- Demência vascular;
- Traumatismo cranioencefálico;
- Dificuldade de aprendizagem;
- Ansiedade;
- Depressão;
- TDAH (Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade);
- Uso de estimulantes, etc.
Situações que podem deixar o cérebro mais vulnerável a problemas de funcionamento executivo.

Até o momento tais apurações seguem em estudo, sem ainda uma definição precisa das causas e fatores exatos.

Mas como tais queixas e comprometimentos tem sido frequentemente relatados e percebidos, abordagens e terapias para recuperação da funcionalidade tem sido aprimoradas.