Café – Aliado ou inimigo?

Café puro ou com leite, doce ou amargo, amado por alguns, odiado por outros.
⠀⠀⠀⠀⠀
O seu principal composto, a CAFEÍNA, está presente em vários alimentos e bebidas, como no chocolate, refrigerantes, alguns tipos de chás (chá preto), chimarrão (erva mate) e também é encontrado em produtos alimentícios (bebidas energéticas), farmacêuticos (medicação para gripe) e cosméticos (cremes anticelulite).

A CAFEÍNA é um ESTIMULANTE do sistema nervoso central, potencializando o estado de alerta e vigilia (reduz o sono), aumenta a capacidade de atenção, energia, proporciona sensação de bem estar e reduz a fadiga.

Devido ao seu perfil ATIVADOR, tomar mais de 5 xícaras de café ao dia (mais de 500-600mg) pode causar mal estar e intensificar sintomas ansiosos, como por exemplo palpitação, taquicardia, inquietação, angústia, insônia, tremores, irritabilidade, sendo até um potencial gatilho para crises de pânico.
Algumas pessoas são extremamente sensíveis à cafeína, mesmo quantidades mínimas podem causar efeitos negativos.

Em alguns casos o consumo de cafeína deve ser reduzido ou mesmo interrompido, para auxiliar no controle do quadro.

Mas se você não abre mão de um cafezinho, tenha alguns cuidados.
⠀⠀⠀⠀⠀
Evite o consumo no período noturno, a duração do seu efeito é de 3-6h, pode causar insônia;
⠀⠀⠀⠀⠀
Preste atenção na composição de alimentos e compostos que você ingere, somando a cafeína presente em todos os produtos ao longo do dia, você pode estar consumindo uma quantidade maior do que imagina.
⠀⠀⠀⠀⠀
Pode ser usada como auxiliar na ativação metabólica e na prática de atividade física, mas evite usar compostos com cafeína e outros estimulantes sem uma indicação profissional, em altas doses pode até induzir arritmia e infarto;
⠀⠀⠀⠀⠀
Se você faz uso de alguma medicação, informe-se com seu médico se não existe risco de interação medicamentosa. Muitos remédios não combinam com a associação de cafeína e podem causar prejuízo ao seu organismo.